• Hermes Freitas

Analytics em toda a Organização



Quando o assunto é analytics, é comum focar primeiro em tecnologia. Ter a ferramenta certa é essencial, mas é muito comum ignorarmos ou subestimarmos a importância das pessoas e dos componentes organizacionais necessários para criar um modelo de analytics de sucesso.


Quando isso ocorre, as iniciativas de análise podem falhar — deixando de dar os insights necessários para levar a empresa a frente ou de inspirar confiança para ações que precisam dela.


Uma estratégia sólida e bem sucedida de analytics engloba mais do que apenas uma enorme quantidade de tecnologias, ou alguns funcionários isolados em um andar da empresa. Analytics deveria ser o coração da empresa e ser incorporado a toda decisão importante dos setores de vendas, marketing, suprimentos, atendimento e outras áreas fundamentais.


Qual seria então a melhor maneira de desenvolver capacidades efetivas no uso de analytics? Comece criando uma estratégia geral para a empresa que inclua uma visão clara do que se espera alcançar e como o êxito será medido.


Certifique-se de que as equipes de liderança estejam comprometidas em definir e estipular o comportamento esperado de todos os setores da empresa.


Analytics deve ser um recurso chave para o desenvolvimento e execução das estratégias de negócio promovendo insights para funcionários e clientes, mostrando oportunidades de mercado desconhecidas, novas tendências e outros.


Os líderes devem reconhecer que o sucesso demanda coragem, posto que uma vez aceito o desafio, os insights provenientes das análises apontarão, com frequência, a necessidade de decisões para corrigir o curso dos negócios. Os líderes precisam ser honestos consigo mesmos e analisar se estão dispostos a incorporar os insights à tomada de decisão e assegurar que não somente eles, mas também outros líderes assim o façam.


Outro problema difícil de prever é a resistência cultural da empresa. Dois estudos recentes, porém, ressaltam que apenas 51% dos executivos de alto escalão apoiam as estratégias fundamentadas em analytics. O Gartner, empresa de pesquisa e assessoria responsável por um dos estudos, estima que 60% dos projetos de analytics fracassam. Por que? Em razão da frequente falta de apoio da estrutura organizacional correta e alinhamento com a estratégia de negócio.


Algumas empresas dividem a função de analisar dados de Big Data e Analytics entre vários setores ou simplesmente confiam em alguns poucos cientistas de dados para gerar insights. Algumas dependem demais de ferramentas tecnológicas e arquiteturas rígidas e não se empenham em criar o ambiente certo para incentivar os funcionários que têm a expertise certa para levar os projetos de análise adiante. Esses modelos de organização, em geral, não conseguem concluir um projeto que seja realmente transformador.


Ainda que haja variação na estrutura, a equipe deve estar perfeitamente integrada com os provedores e consumidores das análises dentro da empresa, devendo operar em harmonia com os colegas de outras áreas — que realmente compreendem os desafios do negócio e como ele funciona — para assim, delinear metas estratégicas de relevância. As equipes também devem ter apoio dos diretores executivos e seu objetivo deve estar alinhado com a estratégia de negócio.


Em uma época onde dados são criados em uma escala muito além da capacidade humana de processá-los, os gestores precisam de analytics confiáveis para sinalizar as decisões mais importantes — não apenas para reduzir gastos mas também para obter progresso.


Assim, os melhores líderes utilizarão os analytics para antecipar o que seus clientes querem ou precisam antes mesmo que estes queiram ou precisem.


Fontes KPMG/Harvard/Alfa17

Hermes Freitas


alfa17 - Analytics&BI. Todos os direitos reservados. 2020